A Fisioterapia Uroginecológica é uma especialidade da fisioterapia que atua no tratamento dos distúrbios perineais.

Os músculos do assoalho pélvico desenvolvem inúmeras funções benéficas para a saúde. Entre a mais importante função está à manutenção na posição anatômica dos órgãos pélvicos, funcionando como uma rede de sustentação desses órgãos. Estes músculos estão sujeitos a sofrerem atrofia, ou seja, enfraquecimento.

Com o passar da idade, somada as transformações metabólicas que o corpo apresenta, associadas ao desconhecimento, e ao desconforto de se conversar sobre esse assunto muitas pessoas apresentam prolapsos genitais que consiste na descida de órgãos pélvicos, como por exemplo, a bexiga, em consequência do enfraquecimento dessa musculatura. Assim a função de sustentação já não existe dificultando o bem-estar físico e psicológico.

O desempenho sexual poderá ser comprometido com o enfraquecimento dos músculos do assoalho pélvico, pois não mais existirá a sensação de pressão intravaginal, o que dificultará o ato sexual tanto para a mulher quanto para seu parceiro.

Portanto se faz necessário o fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico, com o objetivo de conferir e proporcionar uma melhor qualidade de vida.

Assim como qualquer outro grupo muscular do corpo humano, os músculos que compõem a musculatura do assoalho pélvico podem e devem ser trabalhados, ou seja, devem ser fortalecidos para ser mais um ponto positivo de forma a contribuir para a saúde.

As técnicas para reabilitação do assoalho pélvico podem ser aplicadas em diversas disfunções como:
1. Incontinência fecal: É a incapacidade de controlar a eliminação de fezes. Secundário a fraqueza dos músculos do assoalho pélvico.
2. Prolapsos de órgãos: É a exteriorização de órgãos pelo canal vaginal ou anal.
Acontece devido ao enfraquecimento da musculatura do assoalho pélvico e dos ligamentos que tem o papel de sustentar esses órgãos. Os órgãos que geralmente são projetados para fora são bexiga, útero e reto.
3. Disfunção sexual: Os transtornos sexuais podem acontecer tanto no homem como na mulher, em uma (ou mais) das três fases que compõem o ciclo de resposta sexual: desejo, excitação e orgasmo. As disfunções sexuais mais frequentes nas mulheres são o vaginismo (contração involuntária dos músculos impossibilitando a penetração), anorgasmia (dificuldade ou incapacidade de atingir o orgasmo), dispareunia (dor durante o ato sexual). Nos homens os transtornos mais comuns são disfunção erétil (incapacidade de manter a ereção do pênis) e ejaculação precoce (incapacidade de controlar ou adiar a ejaculação).
4. Gestação e parto: Durante a gravidez, os músculos do assoalho pélvico (MAP) sofrem uma maior pressão, porque sustentam, além dos órgãos pélvicos, o bebê, e os anexos embrionários. Neste período, os MAP bem fortalecidos oferecem um apoio maior ao útero, reduz a pressão sobre a bexiga e melhora as dores lombares, que são comuns em gestantes. Os MAP fortalecidos permitem uma recuperação maior e muito mais rápida após o parto, bem como previne as lacerações da parede vaginal que podem ocorrer no parto normal.

A Fisioterapia Uroginecológica conta com equipamentos de alta tecnologia com o uso de aparelhos que visam o fortalecimento e treinamento da bexiga de forma ativa pelo paciente. Com a evolução da terapia, podem-se acrescentar exercícios perineais em ambiente clínico até a criação de total consciência para realizar exercícios domiciliares.

Esses desconfortos urogenitais geram comprometimentos devastadores à qualidade de vida das pessoas. Sentimentos como vergonha, ansiedade, frustração, depressão e medo geralmente estão associados, levando seus portadores (as) a um permanente estado de angústia e a um progressivo isolamento social.

Contamos com uma equipe especializada e aparelhos de última geração, podendo proporcionar ao cliente o que existe de melhor no mercado. Assim, esperamos a sua visita para conhecer nossas instalações.

Sua saúde e seu bem- estar é importante para a nossa equipe da StudioFisio. Marque um horário conosco e fique bem com a sua saúde.